Autor Marcus De Mario

Olhando para as escolas, sejam públicas ou particulares, logo percebemos que um mesmo modelo, com poucas variações, sustenta suas atividades, o que nos permite com facilidade classificá-las, quase todas, como escolas tradicionais, muito semelhantes à organização criada no século 19 e que se consolidou no século 20, lembrando que já estamos no século 21, ou seja, 200 anos depois, não estará na hora de uma transformação, como, por exemplo, as propostas pedagógicas desenvolvidas pelas escolas inovadoras?

O que caracteriza uma escola tradicional? Podemos resumir essas características em nove pontos:

1 – O conteúdo da educação são as informações e habilidades elaboradas no passado.

2 – A finalidade da escola é transmitir essas informações e habilidades à nova geração.

3 – Os alunos devem ser dóceis, receptivos e obedientes.

4 – Livros e manuais escolares representam o conhecimento e a sabedoria do passado.

5 – Os professores são os agentes transmissores do conhecimento e das habilidades.

6 – A educação tradicional impõe padrões, matérias de estudo e métodos de adultos sobre crianças e jovens.

7 – Aprender é adquirir o que se transmite através dos professores, dos livros e dos manuais.

8 – O ensino é essencialmente extático.

9 – Resumo: imposição de cima para baixo e de fora para dentro.

Essa visão sobre a escola tradicional encontramos no mestre John Dewey, em seu livro Experiência e Educação, lançado em 1938, quase cem anos atrás. Ele teria bem pouco a mudar numa possível revisão do que escreveu à época.

Em conversa com o Valderson, que não é professor mas possui muitos bons raciocínios, ele me comentou:

Já percebeu como que, ao longo do tempo, esquecemos completamente o que nos ensinaram na escola?

Sim.

Outro dia fiquei perdido ao tentar ajudar minha filha, mas sei que no meu tempo de escola estudei aqueles conteúdos que agora ela está estudando.

E o que você acredita que aconteceu?

Bem … acho que acreditei ter aprendido, mas na verdade não aprendi.

Se o Valderson tivesse um encontro com Dewey, e o pode ter através dos livros, entenderia o que aconteceu: não aprendeu por si mesmo, nem nunca soube para que serviam, na vida, aqueles conteúdos. Com o tempo esqueceu, descartou, ficaram inúteis.

A escola deve ser lugar de pessoas interagindo com pessoas, num processo dinâmico de aprendizagem, mas isso já é outra conversa, para outro texto.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *